Mostras e Festivais, Música

Indígenas.BR - Festival de Músicas Indígenas

04 a 12 setembro 2021

A edição 2021 do Indígenas.BR está chegando. E, dessa vez, a diversidade de músicas indígenas é o destaque. Mostra de videoclipes, mostra de documentários, shows, bate-papos e conteúdos inéditos de dois povos do Maranhão – os Kanela Ramkokamekrá e os Guajajara Tentehar – serão exibidos em 9 dias com uma programação pensada para difundir a pluralidade das produções musicais realizadas por artistas indígenas de diferentes partes do país.

Com curadoria da pesquisadora e musicista Magda Pucci e da jornalista e poeta Renata Tupinambá, o Indígenas.BR – Festival de Músicas Indígenas acontecerá de 04 a 12 de setembro, em nosso canal do Youtube.

Confira tudo sobre nossa programação abaixo. Para mais informações por dia de evento, clique na data.

Programação

Dia 04/09 – sábado – 19h

Mostra de documentários
– Música é arma de luta – Direção: Carou Trebitsch, Idjahure Kadiwéu. Lucas Canavarro e Nana Orlandi – 2021
Bate-papo com as curadoras Magda Pucci e Renata Tupinambá sobre a programação e o diretor do documentário Música é arma de luta, Idjahure Kadiwéu

Dia 05/09 – domingo – 19h

Mostra de videoclipes
– Cuara çu – Marcia Kambeba
– Tetchi’arü’ngu – Djuena Tikuna e DJ Eric Marky
Mostra de documentários
– O grito ancestral no Tapajós
Show
– Os Cantos que acalentam os Encantados*Djuena Tikuna
Bate-papo 
– Trânsitos entre a tradição e a contemporaneidade – Djuena Tikuna,  Gean Pankararu e Marcia Kambeba. Mediação: Brisa Flow

Dia 06/09 – segunda-feira – 19h

Mostra de documentários
Entrevista com Anuiá Amarü – Direção: Charlie Crooijmans – BA – 2017
Kukuho – Canto Vivo Waujá* – Direção: Takumã Kuikuro – MT – 2021
Mostra de videoclipes
– ORE MBORAI – Orquestra Multiétnica
Bate-papo
– Intercâmbios musicais entre indígenas – Renata Amaral, Anuiá Amarü (Orquestra Multiétnica) e Juliano Basso. Mediação: Magda Pucci.

Dia 07/09 – terça-feira – 19h

Mostra de documentários
Histórias e Cantos Indígenas Guajajara & Kanela* – Povo Kanela Ramkokamekrá – Aldeia Escalvado – Terra Indígena Kanela – Fernando Falcão (MA) – Direção: Diego Janatã e  Djuena Tikuna – 2021
Iburi – Trompete dos Tikunas – Direção: Edson Matarezio – 2014
Bate-papo
Ritual e música – A festa da moça nova Tikuna – Edson Matarezio e Djuena Tikuna. Mediação: Magda Pucci

Dia 08/09 – quarta-feira – 19h

Mostra de documentários
NIXI PAE – O Espírito da Floresta – Direção: Amilton Pelegrino de Mattos – Pesquisa e execução dos cantos: Ibã Sales Huni Kuin
Apresentação Wakay – Ao vivo
Bate-papo
Música e espiritualidade – Ibã Sales (Huni-Kuin), Kássia Borges da etnia Karajá (Iny),   Wakay (Fulkaxó) e  Anna Dantes. Mediação: Magda Pucci.

Dia 09/09 – quinta-feira – 19h

Mostra de documentários
Histórias e Cantos Indígenas Guajajara & Kanela* – Povo Guajajara Tentehar –  Aldeia Lagoa Quieta – Terra Indígena Arariboia – Amarante (MA) – Direção: Diego Janatã e  Djuena Tikuna – 2021
Histórias e Cantos Indígenas Guajajara & Kanela* – Povo Guajajara Tentehar – Aldeia Maçaranduba – Terra Indígena Caru – Alto Alegre do Pindaré (MA) – Direção: Diego Janatã e  Djuena Tikuna – 2021
Bate-papo 
– Presença indígena no Maranhão – Diego Janatã e Ligia Soares. Mediação: Magda Pucci

Dia 10/09 – sexta-feira – 19h

Mostra de videoclipes
– Renata Rosa e Kariri Xocó
Saída da Corrida do Umbu – Pankararu em São Paulo – Pankararu, de Alfredo Bello
Yaathelha Setsotwalha – Cafurnas Fulni-ô
Show
– Gean Ramos Pankararu* (PE)
Bate-papo
Musicalidades indígenas no Nordeste – Renata Rosa, Iberu e Cema Kariri Xocó, Alfredo Bello e Lidia Pankararu. Mediação: Alexandre Herbetta.

Dia 11/09 – sábado – 19h

Mostra de documentários
Resistência Nativa: Ayvú Anhenteguá – 4 Ventos Produções – Direção: Leonardo Solda
Nhandesy – Direção: Graciela Guarani
Mostra de videoclipes
Feminicídio – Anaranda MC
Rapé – Nelson D feat VJ Suave
Resistência Nativa – Kunumi Mc, Brô Mc’s, OZ Guarani
Show
Demarcação dos palcos e das terras indígenas* – Edivan Fulni-ô, Oz Guarani (SP)
Bate-papo
Rap nativo – MCs na roda – Brô MCs e Oz Guarani. Mediação: Renata Tupinambá.

Dia 12/09 – domingo – 19h

Mostra de documentários
Nẽn Ga vī: uma retomada kanhgág em movimento – Direção: Nyg Kuitá Kaingang e Paola Gibram
– Exibição do episódio Sou moderno, sou músico, da série inédita Sou moderno, sou índio,  em exibição única. Direção: Carlos Magalhães
Show
– Brisa Flow –  Canto pra tecer memórias*
Bate-papo
O audiovisual em diálogo com os mundos indígenas contemporâneos – Carlos Magalhães, Renata Tupinambá e Dedé Maia (roteiristas). Mediação: Idjahure Kadiwel.

*Vídeos produzidos especialmente para o Festival

Simbologia do maracá

 

O maracá (mbaraka) é um elemento simbólico de grande importância para a cultura indígena.  Esse instrumento  de mediação por excelência, se associa à conexão com o mundo dos espíritos e ao universo sagrado, cria elos entre  passado e presente. O maracá produz um som que invoca seres do invisível e trazem conhecimento e sabedoria.

Aislan Pankararu  criou a arte do festival trazendo a potência desse instrumento-ser-som nas culturas indígenas,  de onde sai a floresta e seus ramos sonoros. Maracás são instrumentos que ativam os poderes sobrenaturais, produzindo comunicação entre humanos e não-humanos, que acompanham os cantores dos xamãs.

Aislan Pankararu