Mês Negro e da Diversidade no CCVM - Oficina A Oralidade como Base da Educação, com o griot François Moïse Bamba (Burkina Faso) - Inscrições Abertas

10–14 novembro 2020

O Centro Cultural Vale Maranhão realiza, de 04/11 a 12/12, o Mês Negro e da Diversidade no CCVM.  Como parte da programação, acontece, de 10 a 14/11 (terça a sábado), das 15h às 18h, a oficina A Oralidade como Base da Educação, com o ator, contador de histórias e mestre da cultura griot do Burkina Faso, François Bamba e tradução da artista Laura Tamiana.

O artista convida todos a uma viagem pelo rico patrimônio das sociedades de tradições orais da África do Oeste. A oficina propõe a experimentação e a partilha, tendo como base as histórias, elementos fundamentais na aprendizagem da vida e a escuta de si mesmo, do outro, e do espaço, por meio de dinâmicas da arte de contar, dos repertórios tradicionais e da busca da palavra pessoal de cada um.

François Moïse Bamba é da casta dos ferreiros, os mestres do fogo e do ferro. Foi iniciado na arte do conto por seu pai e criado em estreita relação com a tradição da cultura e da arte griot do Burkina Faso. Coletou e reescreveu numerosos contos de seu país, alguns deles dando origem a CD, DVD e livros publicados na França. Em seus mais de 20 anos de carreira, tem circulado o mundo apresentando-se. Foi diretor do Festival de contos Yeleen, e criador do Festival Internacional dos Patrimônios Imateriais – transmissão de saberes e fazeres antigos. No Brasil, conta com a parceria da artista Laura Tamiana, com quem criou a Ba-kô Burkina Brasil, uma ponte artístico-cultural entre as culturas brasileiras e oeste-africanas.

Público: contadores de histórias, atores, artistas, educadores e interessados em geral.

Número de vagas: 30.

Os interessados em participar, devem enviar nome completo, oficina que deseja se inscrever e telefone para o e-mail: contato@ccv-ma.org.br. A oficina será online, transmitida pela Plataforma Zoom. Inscrições gratuitas.


Relacionados