Festival Cabeça de Nêgo acontece este mês pelo projeto OCUPA CCVM

22–23 novembro 2019

O Festival Cabeça de Nêgo, criado pelo jornalista Pedro Sobrinho, integra a programação do OCUPA CCVM e chega para celebrar o Mês da Consciência Negra com debate, moda e baile!

PROGRAMAÇÃO

Dia 22/11 (sexta-feira)

18h

Conversa Aberta: A Difícil Arte de ser Negro e ter Autoestima
, com Louise Mendes (fotógrafa), Meire Rabelo (coordenadora do Coletivo Bantu Kunlê), Erik Moraes (advogado), Mariana Sulidade (historiadora) e Luciana Oliveira (arte-educadora e cantora).

Mostra de Roupas Autorais, do estilista João Belfort

Discotecagem com Gabriella Leão e Brunoso.


Dia 23/11 (sábado)

18h

Baile Somos Todos Black, comandado pelos DJs Pedro Sobrinho e Joaquim Zion

Show Canal Raja + Luciana Oliveira (DF)

CONVIDADOS:

LOUISE MENDES, fundadora do I-Black, comunidade que discute o papel do negro no mercado de trabalho. Como fotógrafa, retratou a moda inspirada nos aspectos culturais do Reggae e sua influência na identidade de São Luís.

MARIANA SULIDADE, educadora popular da Rede Emamcipa; historiadora, mestre pela UEMA, pesquisa ensino de História, territorialidades e questões raciais, professora substituta do curso de História da UEMA.
MEIRE RABELO, militante do movimento negro e feminista, coordenadora do Coletivo Bantu Kunlê, graduada em Serviço Social pela UFMA e mestranda em Cartografia Social e Política pela UEMA.

ERIK MORAES, advogado, primeiro presidente da Comissão da Verdade da Escravidão Negra no Brasil, da OAB-MA, ativista do Movimento Negro e dos Direitos Humanos.

JOÃO BELFORT, stylist, criador da Moda do João e membro do coletivo criativo Haus 337. Trabalhou com Thayanara OG, Zeca Baleiro, Only Fuego, entre outros. Atuou com nomes importantes da moda maranhense, como Chico Coimbra. Foi premiado duas vezes como melhor produtor de moda do Maranhão.

DJ BRUNOSO, produz seus próprios sons desde os 13 anos, inspirado por gêneros periféricos brasileiros,os misturando com elementos da Bass Music. Seus sets transitam entre Funk, Rasteirinha, Hip-Hop, Bregadeira e Música Eletrônica.

DJ GABRIELLA LEÃO, iniciou a carreira como produtora de eventos de protagonismo negro. Apaixonada por música preta e derivados, suas maiores referências são os batuques e a musicalidade brasileira.

DJ PEDRO SOBRINHO, há mais de 20 anos na pista, já fez barulhos dentro e fora do Maranhão. Tocou e produziu festas em diversas casas, apresentando uma discotecagem cheia de personalidade. Traz pro baile brasilidades remixadas (coco, ciranda, maracatu, so ns da Am azônia), Dub, Afrobeat, Soul e R&B.

JOAQUIM ZION, pesquisador, produtor cultural, um dos pioneiros e referência na arte da discotecagem do vinil no Maranhão. Reúne rara coleção, com mais de cinco mil vinis, que começou aos 16 anos. Nos anos 90 criou a Rádio Zion, que apresentava pérolas do reggae e música brasileira. São 22 anos de discotecagem e produção, com destaque o show dos jamaicanos Johnny Clarke e Lloyd Parks, entre outros. Seu set traz Roots Reggae, Samba Rock, Original Funk, Dub, Afrobeat, MPB e raridades do seu acervo.

CANAL RAJA, com suas bases digitais tocadas por um DJ, a Raja apresenta um trabalho original, dançante e vibrante, com influências do Rub-a-Dub e de toda a sonoridade jamaicana.

LUCIANA OLIVEIRA (DF), cantora, ex-backing vocal da banda Natiruts, pela primeira vez em apresentação solo na ilha, tem se apresentado em todo o Brasil. Transita do samba ao afoxé, com forte inspiração na música afro-brasileira. Em 2011, gravou com a lenda viva do Dub, Mad Professor, no estúdio do cantor em Londres, mesclando reggae e música brasileira.