Circula CCVM leva Cinema às Comunidades Quilombolas de Itapecuru e Anajatuba, neste final de semana

10–11 agosto 2019

O Circula CCVM é um programa criado pelo Centro Cultural Vale Maranhão para levar parte de sua programação para as cidades do interior maranhense. O programa teve início com a circulação de oficinas de HIP HOP que haviam acontecido durante o festival Kebrada, elas já passaram por Santa Rita, Rosário, Arari e chegarão em agosto a Miranda do Norte. Em julho foi a aberta em Arari a exposição Afetos, com fotografias de Edgar Rocha e em agosto a expo-sição Hiorlando deve chegar a Pindaré-Mirim.

O programa iniciou em julho uma nova linha de ação: a projeção de filmes em comunidades quilombolas. A cada mês o Circula CCVM deve passar por oito comunidades. Já passamos por Santa Rita e esta semana estaremos em Anajatuba e Itapecuru.

Foram selecionadas seis animações francesas, que já receberam diversos prêmios em festivais internacionais. Os filmes não têm falas, nem legendas e são acessíveis para todos os públicos. O Instituto Francês é parceiro da iniciativa e liberou os direitos de exibição.

“Estamos muito entusiasmados com a circulação da programação do centro cultural, escolhe-mos sempre conteúdos de muita qualidade e agora conseguimos fazer com que muito mais gente tenha acesso. A expectativa é que os moradores das comunidades gostem, divirtam-se e deixem o pensamento voar longe ao assistir os filmes”, comenta Paula Porta, diretora do CCVM e responsável pela iniciativa.

As sessões irão acontecer este final de semana, dias 10 e 111, sempre à tarde.

Programação:
• 5 metros e 80 (5 Mètre 80), de Nicolas Deveaux (2013) (Melhor animação no Festival e Curtas de Cannes 2013)
• Flutuando na Minha Mente (Floating in my mind), de Hélène Leroux (2013) (Melhor ani-mação Gobelins 2013)
• O Gato de Apartamento (Le chat d’appartement), de Sarah Roper (1999) (Menção espe-cial no Festival de Berlin 1999)
• No Fim do Mundo (Au bout du monde), de Konstantin Bronzit (1999) (Melhor animação Européia ASIFA, 2000)
• Primeiro domingo de agosto (Au premier dimanche d’août), de Florence Miailhe (2000) (Prêmio César de melhor curta 2002)
• Lwas, um espírito do Haiti (Lwas), de Mathilde Vachet (2012)

Quando e Onde:

Dia 10/08 (sábado) – 15h – Comunidade Pedrinhas (Anajatuba)
17h30 – Comunidade Pedrinhas (Itapecuru)

Dia 11/08 15h – Comunidade Queluz (Anajatuba)
17h30 – Carro Quebrado (Anajatuba)


Relacionados